A Escola Terra Firme cultiva um ambiente humano e acolhedor, incentivando cada aluno, professor e familiar a participar da interação permanente de uma vivência comunitária em prol do bem comum. A ideia é estar junto e a proximidade entre familiares, professores, estudantes e direção é um fator fundamental para o projeto pedagógico da escola, que inclui a formação intelectual e acadêmica de cada aluno e aluna, mas vai além. A proposta é mais ampla e marcada pela busca de uma formação integrada e o mais completa possível, voltada para o desenvolvimento pessoal, a cidadania, o cuidado ambiental e a qualidade da vida.

Cultivar e compartilhar valores e qualidades humanas são atitudes fundamentais para uma proposta de formação que objetiva apoiar crianças e adolescentes, principalmente nos momentos de instabilidade vivenciados nos períodos de mudanças cognitivas, físicas e emocionais. Nessa iniciativa, é fundamental que as famílias estejam próximas do ambiente escolar. “Os pais estão na escola e a Terra Firme faz questão disso. O convívio da família com a equipe pedagógica é fundamental para o desenvolvimento das crianças e adolescentes, oferecendo apoio e confiança em um percurso que é cheio de instabilidades. Por isso, professores e professoras têm autonomia na tomada de decisões e, quando necessário, os pais são acessados”, explica Sandra Cornelsen, fundadora e diretora da Terra Firme.

Disponibilidade e solidariedade – Uma das características da escola é promover essa integração, sempre pensando na qualidade da formação, que deve ser o mais completa possível e com bases humanistas. Isso exige não apenas a dedicação profissional e pedagógica da equipe. “O professor trabalha a si próprio, investe em si, se conhece melhor para melhor ouvir e conhecer o aluno. Conta com um ambiente favorável e colaborativo para isso, no qual a Psicomotricidade Relacional é um instrumento muito importante”, diz Sandra.

Com a equipe pedagógica disponível para se autoconhecer e ajudar alunos e alunas a também se conhecerem melhor, a Terra Firme fornece espaço para o desenvolvimento pessoal e coletivo em um ambiente de solidariedade. “A concorrência que incentivamos é aquela do aluno consigo mesmo e, para isso, há espaço para acertar e errar, contando com a parceria de todos, pois os alunos percebem que não vão longe se não derem as mãos. O trabalho compartilhado é um trabalho que cresce e se desenvolve”, afirma a diretora.

Acessibilidade é diferencial – O acompanhamento de estudantes e professores é próximo e constante. Na Terra Firme o professor tem assistência no plano profissional e pedagógico e os alunos e alunas são acompanhados de perto pelos professores, coordenações e direção, com voz e direito a emitir opiniões e sentimentos. Muitos alunos e familiares que chegam se surpreendem diante da proximidade que têm com a equipe da escola, incluindo coordenações e direção. “Há acessibilidade, as portas estão abertas e essa é uma das marcas da Terra Firme. É um diferencial que faz com que o ambiente seja propício à solidariedade. Problemas sempre acontecem, mas, nesse clima que promove a responsabilidade pelo outro, podem ser melhor entendidos e resolvidos”, afirma Thamy Padilha, coordenadora do Fundamental I e II, do 3º ao 9º ano.

Organização estruturante – A coordenadora da Educação Infantil, e do 1º e 2º ano do Ensino Fundamental I, Camila Guitti Luppi, também enaltece o ambiente humano e comunitário da Terra Firme. Porém, ela chama a atenção para outro fator determinante, que ajuda as crianças a ter mais segurança: a organização. “Desde cedo vamos orientando para o uso do calendário, de modo a que haja uma noção da ordem do tempo, o que incentiva a criança a se perceber e estruturar. São utilizadas cores para marcar os dias da semana e as atividades e tarefas que vão sendo realizadas, demonstrando como se ordenar em uma rotina”, explica. Segundo Camila, outro elemento organizativo importante é a combinação de que o que foi utilizado deve ser arrumado depois do uso, tanto na escola, quanto no lar.

Formação equilibrada – As atividades de check in-check out e os momentos de meditação foram incluídas na rotina da Terra e apresentam bons resultados, bem como a Psicomotricidade Relacional, que permite a leitura empática das comunicações não-verbais e já é utilizada pela escola há muito tempo. São oferecidas, ainda, sessões de Yoga, como atividade extracurricular. O objetivo é propiciar uma formação equilibrada e o mais completa possível, com bases sólidas. “A Terra Firme é feita de muito movimento e diversidade em um ambiente comunicativo, de expressões espontâneas e solidárias. Mas, é feita também de momentos de silêncio, de ouvirmos a nós mesmos, o outro e o ambiente, para melhor nos conhecermos e ao mundo que nos cerca,”, diz Sandra Cornelsen.

Gotas de solidariedade – Uma das expressões do ambiente solidário da Terra Firme é a iniciativa de um grupo de alunos e alunas do 8° ano, que fala de amizade, parceria e companheirismo. Eles se disponibilizam a se solidarizar e apoiar colegas e colaram em espelhos e janelas mensagens que transmitem empatia e gentileza em relação aos dilemas e problemas que todas e todos atravessam. São como gotas de solidariedade, que lembram como cada um é importante e reiteram que ninguém ali está sozinho. Além disso, os pequenos papéis coloridos também transmitem mensagens de cuidado ambiental e preservação do planeta.

Texto: Luiz Geremias
Fotos: Luiz Geremias e Gilson Camargo

#TerraFirme30anos