Em 2016, os alunos da turma do 4° ano enterraram uma cápsula do tempo embaixo da árvore mais cobiçada da escola. Essa árvore servia de apoio para leitores vorazes e descanso para crianças de bochechas vermelhas de tanto correr. Uma cápsula foi enterrada no coração da escola.

Esta cápsula foi mais do que um recipiente para guardar objetos importantes, foi uma chance de unirmos o passado e o futuro. Nossa cápsula não podia ficar enterrada por séculos, como a do Miguel de Cervantes, mas ficou guardada por cinco longos anos.

Nesses cinco anos em que ela ficou enterrada, muita coisa mudou: os alunos amadureceram, alguns amigos se despediram, outras pessoas passaram a fazer parte deste grupo… Porém, sempre que olhávamos para aquela árvore (a maior da escola), lembrávamos das fotos que guardamos, lembrávamos das cartas que escrevemos, do livro de contos preferidos da turma (Contos da Rua Brocá*), dos desenhos!

A pandemia nos impediu de convidar todos os colegas que gostaríamos de unir ao redor daquela grande árvore, mas as lembranças já haviam brotado e criado raízes, estávamos todos conectados pela sabedoria de uma árvore que soube nos acolher e guardar nossos segredos como uma amiga.

Pelas mãos do seu Marcos a enterramos e pelas mãos do seu Marcos a desenterramos. No dia em que ela saiu da terra, o presente se fez passado e esbarrou no futuro. Foi emocionante.

Esta turma se formou, floresceu, germinou. Hoje, são adolescentes preparados para a vida, mas que mantêm as lembranças mais preciosas guardadas na Terra Firme.

Mara Ferreira, professora de Língua Portuguesa do Fundamental II

* “Contos da Rua Brocá” é um livro escrito na década de 1960 pelo francês Pierre Gripari (1925/1990), na qual uma criança descobre a magia da imaginação. São 20 contos que narram as aventuras de personagens imaginários, como uma batata que fala a uma guitarra sobre seus amores, ou como um porquinho que furta uma estrela. No Brasil, o livro foi editado pela Editora Martins Fontes.

Sementes do Amanhã

Em 2020, a turma do 9º ano enterrou a sua “cápsula do tempo”, com a previsão de desenterrá-la em 2030. Nela, foram colocadas mensagens que registraram sentimentos e pensamentos. A iniciativa foi batizada com o nome de “Sementes do Amanhã” e tem grande importância na medida em que registra um momento especial e peculiar da vida desses jovens. Mais detalhes em https://escolaterrafirme.com.br/uma-capsula-para-viajar-no-tempo-e-reviver-memorias-afetivas.