A turma do 3º ano recebeu uma visita inesperada e empolgante. O ilustrador e artista plástico Nilson Müller foi até a Terra Firme para ajudar as crianças no desenvolvimento das atividades do projeto “Fabricando Inteligência”. Ele foi o criador do personagem das figurinhas do “Álbum do Zequinha”, lançado em 1979 para uma campanha do governo estadual e que teve vários relançamentos. Essas figurinhas fizeram a alegria e compuseram a imaginação de gerações e agora voltaram a ser publicadas. O personagem tem sido bastante utilizado nas aulas da professora Liz Volino.

O “baú das descobertas” é um elemento instigador no desenvolvimento das atividades do projeto da turma e dele saem “cartinhas” que orientam o estudo e trazem boas surpresas. Uma delas dizia que as crianças teriam uma dessas surpresas indo até a sala de artes. “Muitas já imaginavam o que iria acontecer, pois a carta era do Zequinha e já estávamos pesquisando sobre o autor da figura do personagem. E lá estava ele, em pessoa, para conversar com a turma. Foi maravilhoso”, conta a professora.

O encontro foi emocionante para os alunos e alunas, principalmente para os que já colecionavam as figurinhas. Alguns, como Júlio Nascimento Brandão Pontes e Joaquim Teixeira Pereira, estavam com o álbum e pediram para o ilustrador autografá-lo. Nilson falou sobre sua trajetória e, é claro, sobre o Zequinha, não apenas contando a história do personagem como desenhando-o diante da turma e ensinando técnicas básicas para isso. E, ao final, mesmo os que não levaram os álbuns ganharam um exemplar, com pacotinho de figurinhas, gibi com a história da fundação de Curitiba e dedicatória personalizada do autor.

Histórico do personagem e do ilustrador

Zequinha surgiu no Paraná na década de 1920 como a figura da embalagem de uma bala, a “bala Zequinha”. Essa embalagem era colecionável e trazia o personagem em diversas atividades. A bala foi comercializada por décadas até que, em 1979, o Zequinha passou a ser uma figurinha de álbum. Isso aconteceu por conta de uma campanha de arrecadação do governo do Paraná, na qual notas de compra de produtos eram trocadas pelo álbum e pelas figurinhas. Para colecioná-las, as crianças pediam aos pais que guardassem e trocassem as notas.

Foi em 1979 que Nilson Müller começou a desenhar o Zequinha e o personagem se mantém até hoje com a mesma aparência. Ele é ilustrador, artista plástico, mentor e professor de desenho e pintura desde 1958. Trabalhou em grandes agências de publicidade e também em cenografia, ilustrações em livros e revistas, quadrinhos e logomarcas (como a do açúcar Diana), além de outras atividades.

Baú das Descobertas

A professora Liz utiliza esse recurso e as aulas são lúdicas e despertam o interesse de alunos e alunas. A ideia, segundo ela, surgiu quando a turma assistiu a um filme no qual a atração era um baú misterioso. Segundo ela, o objetivo é promover envolvimento com os estudos e a aprendizagem, incentivando a pesquisa. “Despertar na criança a curiosidade, a emoção de aprender, descobrir coisas. No baú sempre tem novidades, coisas diferentes que são elementos instigadores para as nossas atividades. Uma obra de arte, um brinquedo, um livro, uma carta, algo que vai ajudar nos trabalhos que a turma desenvolve”, explicou a professora na matéria “Um baú cheio de tesouros que despertam o prazer de aprender”.